sábado, 23 de julho de 2011

Procurei tanto essas palavras... confesso que as encontrei, mas não consegui juntá-las do modo como "Bruno Gouveia" fez... ele conseguiu dar sentido às palavras soltas que jamais conseguiria dar... mas, senti... ah como senti...





Partida



A morte de um filho

é uma gravidez às avessas:

volta para dentro da gente

para uma gestação eterna

Aninha-se aos poucos

buscando um espaço;

por isso dói o corpo;

por isso, o cansaço

E como numa gestação

ao contrário, a dor do parto

é a partida, de volta;

reviravolta na sua vida.

E já começa te chutando,

tirando o sono,

mexendo os órgãos,

lembrando ao dono

que está presente, te

bagunçando o pensamento,

te vazando de lágrimas e

disparando o coração.

A morte de um filho é essa

gravidez ao contrário,

mas, com o tempo,

vai desinchando

até se transformar

numa semente de amor

e que nunca mais

sairá de dentro de ti.

(Bruno Gouveia)





Realmente a morte de um filho é uma gravidez ao contrário, eterna...

de tempos em tempos vem a dor do parto...

e ele nasce pra dentro e nunca mais nos deixa...